Monday, 19 September 2011

Meia Maratona Sport Zone

Corri ontem a Meia Maratona Sport Zone. Esta, que teve a sua primeira edição em 2007, é já uma das mais prestigiadas Meias Maratonas do panorama nacional e internacional, pois tem contado com a presença dos melhores especialistas mundiais nas distância. Este ano também assim foi, com a participação (e vitória) do recordista mundial da distância, o Eritreu Zerzenay Tadese, que conseguiu, pela primeira vez no Porto, baixar da hora à meia maratona.

A minha participação deste ano, a quinta em cinco edições, foi bastante modesta. Perante a falta de treinos em quantidade e qualidade desejável para a participação na Maratona do Porto deste ano (o próximo objectivo), aproveitei esta prova para fazer um treino longo.

Por isso mesmo, tudo começou cerca de uma hora antes da prova, quando comecei o meu treino. Estacionando o carro no local da meta, fiz o percurso até à partida a correr, sempre num ritmo lento e confortável. O objectivo era o de somar quilómetros ao treino. Fiz cerca de 9,5 km.

Com a vontade de fazer o máximo de quilómetros possíveis, acabei por chegar ao ponto de partida mesmo em cima da hora de ser dada a largada para a prova. Não devo ter parado mais de um ou dois minutos entre o treino inicial e a prova propriamente dita. Com esta atrapalhação nem houve tempo para hidratar, conforme era minha intenção.

Como estava na frente, fiz os primeiros 500 metros em ritmo muito elevado para não ser atropelado pela multidão. Logo que pude, encostei e comecei a imprimir o meu ritmo. A ideia era rolar ligeiramente abaixo dos 5:00/km e ir escutando os sinais do corpo. Se desse para mais, aceleraria na segunda metade. Se não desse, tentaria manter esse ritmo.

Sempre no meio da multidão estava a fazer a minha corrida sem qualquer pressão. Nem quando passava por mim gente conhecida que, simpaticamente, me tentava arrastar para andamentos que não eram os meus eu cedia. O plano era mesmo para cumprir, pois sabia que não estava em condições para grandes aventuras. Era uma espécie de regime de solidão auto-imposto, aquele em que eu seguia no meio de grande multidão.

Fui fazendo quilómetros entre os 4:45/km e os 5:00/km e estava bastante confortável. A certa altura uma atleta pergunta-me qual o tempo que eu pensava fazer no final. Respondi-lhe que a coisa deveria ficar por 1h45m ao que ela respondeu prontamente: "Vou consigo"!

Finalmente arranjava uma companhia. Disse-me que era de Vila do Conde, tal como eu. Fomos lado a lado durante cerca de 1,5 a 2 km até à entrada na zona do Cais de Gaia. Aí, com as ligeiras subidas e a confusão do abastecimento, ela cedeu. Ainda tentei esperar um pouco, mas tinha a sensação de que a minha parceira não iria conseguiur recolar e, com pena de perder a companhia desta conterrânea, lá continuei na minha toada regular.

Passei aos dez quilómetros ligeiramente abaixo dos 49 minutos. Era bom. Como o treino era longo, levei comigo três cubos de marmelada. O primeiro tinha sido ingerido entre o treino pré-prova e o segundo foi aos 11 km. Não sei se foi por isso, se pelo calor que se fazia sentir, estava com muita sede. A cada abastecimento levava uma garrafa e bebia bastante. No início tive algum receio de ter alguma indisposição abdominal copmo muitas vezes me aconteceu quando bebia água ou isotónico a mais. A verdade é que não tive nenhum problema a esse nível.

Depois do túnel da Ribeira comecei a sentir o "peso" dos quilómetros. As pernas estavam a ficar pesadas e os 5:00/km estavam a tornar-se difíceis de manter. Mesmo assim ainda consegui andar sempre abaixo disso até aos 18Km e só nos últimos 3 é que andei ligeiramente acima.

Acabei a prova com 1h45m18s, um tempo fraco, mas que ilustra bem um estado de forma resultante de uma baixíssima carga de treinos. O objectivo é tentar aumentar um pouco o número de treinos para ver se consigo chegar ao dia da Maratona do Porto com a mínimas condições para a completar. Não vai ser fácil, mas há-de conseguir-se.

13 comments:

Carlos Alexandre said...

Parabéns Paiva

Ricardo Baptista said...

Parabéns Miguel,
Acho que o tempo não foi assim tão mau para um treino longo, mas o que melhor me pareceu foi o teres conseguido hidratar e comer a marmelada. Para mim, que não percebo muito disto, era o teu calcanhar de aquiles na maratona.
Espero que consigas aumentar o número de treinos (esperança extensível a mim).
Um abraço, e vamos a ver se nos encontramos na maratona do Porto.

joaquim adelino said...

Amigo Paiva, é isso mesmo, quando queremos as coisas até nos saiem bem desde que a disciplina seja respeitada para aquilo que pretendemos. E como o objectivo seguinte é a Maratona do Porto desejo que tudo continue a correr pelo melhor, pois eu já reservei lugar, no Hotel e na partida. Abraço.

luis mota said...

Grande Miguel!
O objectivo foi conseguido. Agora é motivar e marcar a participação em Ovar.
Força aí Maratonista!

Luísa said...

Parabens, como sempre em grande!

NS said...

Viva Miguel,

Pelas minhas contas (30 km) com cerca de 2/3 do treino em ritmo para 3h30 parece-me muito bem conseguido, atendendo que ainda faltam 7 semanas.

Continuação de bons treinos.

Abraço,
NS

MPaiva said...

Carlos,

Muito obrigado!

abraço
MPaiva

MPaiva said...

Ricardo,
No primeiro semestre, quando consegui treinar razoavelmente bem, insisti bastante com a hidratação e com a alimentação e sinto que melhorei bastante nesse capítulo. Aliás, neste prova fiz mesmo de propósito para beber o isotónico para ver como me sentiria. Felizmente tudo correu bem, pelo que vou continuar a apostar nisso.
Bons treinos para ti e até à maratona!

abraço
MPaiva

MPaiva said...

Joaquim,

Depois do desaire do ano passado essa foi uma das coisas que aprendi. Passe quem passar por mim, não me deixarei tentar por ritmos para os quais não me sinta 100% preparado. Nisso estou a tornar-me numa espécie de militar!
Fico à espera do dia da maratona para, finalmente, voltarmos a poder conviver um pouco!

abraço
MPaiva

MPaiva said...

Luis,

Muito obrigado pelo incentivo e pelo apoio constante. Ainda não me inscrevi para Ovar, pois estou dependente de conseguir alguns aspectos logisticos.

abraço
MPaiva

MPaiva said...

Luis,

Não foi assim tão "grande", mas senti-me muito bem e gostei bastante da prova. Só isso já é bastante, não é?

bjs
MPaiva

MPaiva said...

Oooopps! Era "Luisa" e não "Luis"...

MPaiva said...

Nuno,

Na verdade, se virmos a prova como um treino longo, o ritmo não foi nada mau. No entanto, o meu problema neste momento é a falta de quilómetros nas pernas, facto que inviabiliza uma participação com pensamento competitivo.
Por isso mesmo, vou treinar o melhor que puder nas semanas que ainda faltam para, quando chegar o dia, estar em condições de fazer uma prova sem grandes problemas físicos.

Espero que estejas a recuperar bem!

abraço
MPaiva

 
Free counter and web stats