Wednesday, 9 December 2009

52ª Volta a Paranhos - A minha prova

Cheguei a Paranhos com pouco mais de uma hora de antecedência sobre o início da prova. O ambiente que se vivia nas redondezas do local de partida era já o das corridas. Não faltava gente em fato de treino deambulando pelas ruas, o odor aos cremes que os atletas utilizam para os seus musculos sentia-se a cada esquina, as ruas já se apresentavam com as barreiras de protecção e outros objectos de condicionamento do trânsito e o povo, ainda em escasso número, olhava para esse reboliço sem deixar de reparar nas diferenças face aos dias comuns.

Pouco depois de estacionar o carro parto ao encontro dos meus colegas de clube para levantar o meu dorsal. Pelo caminho vou encontrando alguns amigos, com foi o caso da dupla Meixedo/Velhote, entre muitos outros.

Já com o dorsal e o chip colocado (já nem estava habituado a colocar o chip!!!) faço um ligeiro aquecimento. Uns 20 minutos em passo bem lento na rua Manuel Laranjeira e no parque de estacionamento da Faculdade de Economia, momentos em que revivi alguns dos bons anos que lá passei!

Já eram quase 10.45h pelo que estava na hora de partir. Consegui colocar-me razoavelmente na grande coluna de quase 1.200 atletas, começando a prova em bom ritmo. O primeiro quilómetro foi percorrido em cerca de 3:50. Ainda com as baterias em alta fazemos a primeira subida em direcção à Rua Costa Cabral.
Nesta fase o ritmo baixa e o segundo quilómetro já é feito num ritmo superior a 4:00. Chegados a Costa Cabral começa a parte mais fácil da prova, sempre em percurso plano ou a descer (Constituição e Serpa Pinto). Nesta fase amealhei alguns segundos face à média de 4:00/Km. Sentia-me bem e a controlar as coisas sem forçar muito, pois sabia que a segunda parte da prova seria bem mais difícil.
Depois de descer Serpa Pinto começamos a subir, altura em que voltei a ritmos acima dos 4:00/Km. Com o tempo amealhado na parte mais fácil consegui passar aos cinco quilómetros com 20 minutos certos, o que era bem positivo.
Fui resistindo o melhor que pude até chegar a Vale Formoso, altura em que o terreno volta a ser mais fácil (desce e depois fica plano por um bom pedaço). Nesta fase voltei a andar abaixo dos 4:00/Km, tendo conseguido chegar aos oito quilómetros de prova com 32:15. Se conseguisse fazer os dois últimos quilómetros em bom ritmo, ainda poderia dar para baixar dos ambicinados quarenta minutos, pensava eu para me animar.

A verdade é que a cerca de 1,5 Km da meta comecei a sentir uma ligeira dor de burro que foi aumentando de intensidade à medida que ia avançando. O nono quilómetro já foi corrido em 4:08 e o décimo, que incluia a cruel subida da Rua Manuel Laranjeira, foi feito nuns miseráveis 4:38, o que me levou a perder algumas posições.
No final o meu relógio indicava o tempo de 41:33 para 10.130 metros de corrida. A organização creditou-me com 41:42, o que me coloca em 294º lugar da classificação geral e em 111º do meu escalão etário.

O meu balanço final é bastante positivo. Sinto que fiz uma boa prova e o resultado alcançado mostra que estou bem próximo da melhor forma que atingi antes de ter parado. Acredito que, com mais alguns treinos, poderei vir a conseguir baixar dos quarenta minutos!

13 comments:

luis mota said...

Olá Miguel!
Um bom regresso num local que marca parte da tua história de vida.
Um resultado a indicar um Miguel a terminar o ano em alta.
Votos de uma boa semana,
Luís mota

Anonymous said...

Grande Miguel, grande tempo, muitos parabéns e logo numa prova histórica e disputada numa zona que faz parte do teu passado.
Continuação de boas corridas.
Grande abraço,
AAlmeida

joaquim adelino said...

Depois da ressaca da Maratona levamos algum tempo a atinar com aquilo que é possível e capazes de fazermos, mesmo assim foi excelente amigo Miguel, com um pouco mais de ritmo e essa barreira será dobrada em breve, nesta fase claro.
Bons treinos.
Abraço.

Rui Pena said...

Boas Miguel...

Acabei por não poder ir à Volta a Paranhos... Já somos 4 casa em casa.

Mas o teu tempo foi bom e... quero acompanhar-te (ou seguir-te) nesse desafio de baixar dos 40 min. nos 10K. É um grande objectivo meu para o próximo ano... Talvez lá para a corrida do dia do pai ou nos 10Km de Avintes...

Abraço,

Rui Pena

BritoRunner said...

Claro que a barreira dos 40' vai ser derrubada, nem tenho dúvidas.
Os tipos do norte são duros ou não?...hehehe

JCBrito

hugo10 said...

Boas...
a verdade é que tinhas a prova controlada até ao 8km, mas aquele ultimo km era puxado, não podes desaanimar até porque a S. Silvestre de Sto Tirso onde o ano passado obteste a tua melhor marca na distancia....já eu vé la tu em vez de meter chip na sapatilha meti no bolso...lol...ainda ando a aprender...
abraço

MPaiva said...

Hugo,

No ano passado o nosso amigo Mark Velhote fez a mesma coisa!!! Já parece uma tradição da corrida de Paranhos!

abraço
MPaiva

MPaiva said...

Brito,

A malta do norte é do estilo de "mais quebrar do que torcer". Por isso mesmo hei-de continuar na luta até chegar lá!!!

abraço
MPaiva

João Paulo Meixedo said...

Pois claro que baixas, pá; mas da próxima não convides esse tal de burro para te fazer companhia.
Grande abraço.

MPaiva said...

João,

O burro já o dispensei, mas uma lebre dava jeito!

abraço
MPaiva

Mark Velhote said...

Olá Miguel,

Excelente prova! Pelas palavras que trocamos no final percebi que tinhas ficado satisfeito e, mais importante, estás a ficar em forma para atacar o sub40.

Tal como te disse a S Silvestre de Gaia tem um percurso quase plano e óptimo para o efeito. Começa junto às caves da Sandeman e vai um pouco além do local onde fazemos o retorno da maratona (que por sinal é o local onde sobe um pouco, mas não serão mais de 150 metros).

Podemos até combinar um treininho de reconhecimento uma vez que estás por Gaia novamente.

Abraço

Mark

PS: em Paranhos é só malta a correr de chip no bolso! :D

ns said...

Viva Miguel

Parabéns pela prova. A revista Atletismo traz este mês uma análise as provas de estrada em termos de tempos e de participantes. Ao que parece a prova ideal aí no Norte para baixar os 40' é a da Póvoa do Varzim...mas acho que não vais precisar de esperar até Julho:-)

Bons treinos!
Nuno Sebastião

MPaiva said...

Nuno,

Essa prova é mesmo perto de minha casa!!!!

abraço
MPaiva

 
Free counter and web stats