Tuesday, 18 May 2010

II Meia Maratona da Areia - A minha prova

Em primeiro lugar quero referir que esta meia maratona tinha um significado especial, já que seria a 10ª vez que iria correr a distância. Apesar de já correr há algum tempo, a verdade é que o número de meias maratonas que tenho no meu curriculum ainda é relativamente pequeno, pelo que o alcançar da dezena não deixa de ser um marco.

Apesar de ter treinado muito pouco ultimamente, na semana anterior à prova já tinha retomado uma regularidade de treinos razoável, tendo inclusivamente feito um excelente treino na quarta-feira (daqueles que nos dão confiança), o que me deixava animado e com vontade de fazer uma boa prova.

Embalado nesse optimismo, decidi que iria começar a prova lançando-me em ritmos na casa dos 4:30/Km. Foi o que fiz nos primeiros dois quilómetros. Sentia-me bem, mas rapidamente percebi que aquele ritmo não seria possível de manter por muito mais tempo. Afinal, e ao contrário do que muitos colegas me tinham dito, a areia da Costa da Caparica era bem diferente do piso de estrada! No final, os que haviam participado na prova do ano anterior disseram-me que este ano a areia estava mais solta...

Refeitos os planos, decidi então estabilizar a minha corrida no ritmo de 4:45/Km, o que fiz com facilidade até ao retorno, tendo passado com pouco mais de 47 minutos aos 10 quilómetros.

Quando demos a volta e iniciamos o trajecto de regresso, deparei-me com algo de novo: os efeitos do vento. Se na primeira metade nem davamos por ele, pois batia suavemente nas nossas costas, na segunda metade a coisa era diferente. Mesmo não sendo um vento intenso, tratava-se de um obstáculo adicional que teriamos de enfrentar. Apesar da vontade de manter o mesmo ritmo que levava, tive de me resignar a uma redução da cadência, passando a rolar sempre acima dos 5:00/Km.

Nesta fase passei meia dúzia de atletas, mas também fui sendo passado por outros, num saldo claramente negativo. Julgo que terei perdido uns 20 a 30 lugares na classificação ao longo da segunda metade da prova. Nesta fase tive a minha pior parte pouco depois dos 15 quilómetros, já que devo ter bebido água a mais e o meu estômago ressentiu-se, o que me obrigou a reduzir o andamento durante algum tempo. Foi nesta fase que fui ultrapassado pelos Cyberunners Ricardo Batista (primeiro) e Vitor Veloso (depois) que me ganharam algum avanço.

Depois de recuperar das dores abdominais, consegui subir ligeiramente o ritmo, tendo feitos os últimos 2,5 quilómetros em crescendo, de tal forma que cheguei mesmo a alimentar a esperança de re-alcançar os dois colegas de equipa, o que acabou por não ser possível.

Já como a meta em "ponto de mira" fiz apelo às últimas energias para a subida do areal, sempre a controlar o atleta que me perseguia e a esboçar um ligeiro sprint que era impossível de por em prática com aquela areia seca e muito solta. Acabei com o tempo de 1h45m05s no meu relógio (1h45m17s oficiais), satisfeito com o meu desempenho e com a prova, a cuja organização nada de mau tenho a apontar.

7 comments:

Rui Pena said...

Boas Miguel,


Parabéns pela prova... mantém a forma porque daqui a algum tempo "lá teremos" que nos concentrar na Maratona do Porto (3:30 ;)).

Tive pena de não ter estado num evento em que os Cyber runners se portaram de forma espectacular... muitos pódios.

Abraço,

Rui

BritoRunner said...

Gostava bastante de ter participado, mas estava de serviço.
Esta também seria a minha estreia em provas de areia, mas acabou por ficar adiada para o próximo ano.

Parabéns pelo resultado e se não for antes, lá nos encontraremos no Porto para correwr os miticos 42195 metros

joaquim adelino said...

Parabéns amigo Miguel e um grande obrigado pela companhia e dedicação à causa durante todo o dia. Fico muito satisfeito por todos os amigos se terem sentido em casa, sinal que conseguimos cumprir com os nossos objectivos que era proporcionar um dia bem passado em confraternização.
Agora vamos para a IV Edição e o Nuno Romão irá contar com o nosso empenhamento para que seja mais um sucesso, tal como foram todos os outros desde a 1ª Edição em que ambos participámos.
Um abraço.

NS said...

Viva Miguel,

Parabéns pela prova.

Correr na praia é uma "arte" que exige muita força...as idas ao ginásio terão que começar a ser "rentabilizadas" para corrida :-)

Abraço,

NS

António Almeida said...

Miguel
estiveste muito bem dada a falta de treinos nos últimos tempos, de facto este ano a prova foi mais durinha.
Aproveito também para agradecer a simpatia da família do "maratonista" e para te dar os parabéns por seres totalista nos "meetings" e pelo que já li assim pretendes continuar no IV, já somos dois.
Abraço.

Mário Lima said...

Olá Miguel

Como teu vizinho poveiro estive a pensar no que me tinhas dito, que as nossas praias (Vila do Conde e Póvoa) não têm a extensão suficiente, para se fazer treinos de preparação para uma Meia Maratona na areia, como aconteceu no domingo aqui na Costa da Caparica.

Mas não é que saíste muitíssimo bem desse desafio? Vi-te no retorno, e aos problemas gástricos que tiveste respondeste com valentia. Não era uma simples dor que iria parar um vilacondense.

Obrigado também pelo convívio final e também pela organização do II Meeting pois, só agora, é que me estou inteirando de como surgiu estes encontros entre a malta dos Blogues. Já vamos no III e para o ano lá iremos até Constância, terra muito bonita, para o IV.

Um grande abraço de um Poveiro.

Isabel said...

Viva Miguel!

Obrigado por teres participado nesta prova! Para quem corre em casa (eu n ehehe) é um orgulho encontrar atletas de outras paragens ;-) tendo em conta que é a 2ªedição.
Até outra prova ou desafio.
Bons treinos!
Isabel

 
Free counter and web stats