Monday, 10 January 2011

Corrida dos Reis

Ontem abri o meu ano de corridas. Foi em VN Gaia, na Corrida dos Reis.

Esta foi a primeira vez que fiz a prova e, apesar de alguns pormenores menos conseguidos, gostei. O cenário é conhecido e muito bonito mas, ao contrário do que estava à espera, faltou algum calor humano no apoio aos atletas (onde estava o povo da Afurada???).

Vamos então à minha prova. Tudo começou na noite anterior. O jantar era em casa de amigos e da ementa constava a degustação de um leitão assado na Flor do Ave. Para quem não sabe, a Flor do Ave é um restaurante situado na Trofa onde se fabricam dos melhores leitões que se conhecem. Bem, o jantar foi animado e como devem imaginar, comi e bebi generosamente, não me condicionando um milímetro que fosse pela "responsabilidade" de ir correr na manhã do dia seguinte.

Como seria de esperar, sair da cama de manhã foi um problema. Ao contrário do que costumo fazer nos dias de prova, não me levantei com antecedência suficiente para tomar o pequeno almoço (e deixar tempo suficiente para a digestão se fazer), pelo que saí de casa directo à prova sem comer nada.

Quando lá cheguei fui levantar o meu dorsal (e dos meus colegas de clube), operação que demorou demasiado tempo. Acho que a organização deveria rever este aspecto, pois as pessoas que estavam a desempenhar esta função não me pareceram capazes de assegurar a fludez exigida.

Antes da prova fiz um ligeiro aquecimento e, logo aí, vi que não era dia para grandes aventuras... Fui para a linha de meta e esperei pela partida. Estava bem na frente e comecei em bom ritmo. Logo que consegui algum espaço para colocar o meu ritmo, "estacionei" nos 4:20/km. Era um ritmo bem razoável e pareceu-me que talvez o conseguisse aguentar.

Nos primeiros 2/3 km fui ultrapassado consecutivamente por imensos atletas (alguns amigos e conhecidos), mas nunca me deixei perturbar ou influenciar pelos seus ritmos. Creio que por volta dos 2 km passa o Novais, de quem já muito tinha ouvido falar, que me cumprimenta a acompanha. Vamos conversando um pouco e, tendo intenção de manter aquele ritmo, formamos uma parelha que se viria a manter até ao fim.

Sempre certinhos no ritmo, apenas se cria entre nós alguma distância nas curtas mas desagradáveis subidas da Afurada. Nesses instantes ele avança uns 20/30 metros que eu recupero quando a inclinação se inverte. Nesses instantes o Novais simpaticamente vira-se para trás, como que a chamar-me, o que me incentiva para recuperar mais rapidamente.

A passagem aos 5 km é feita com 22:00m, bem dentro dos objectivos delineados. Sentia-me bem, sem grande desgaste, mas também sem grandes folgas para muito mais. O ideal era mesmo manter para chegar ao fim sem grandes quebras.

No regresso, a cerca de 3 km começo a sentir que os cordões das sapatilhas estavam a soltar-se. Pensava se valeria a pena parar para os apertar, mas decidi andar mais um pouco para ver se se aguentavam. A verdade é que ainda a 2 km da meta fiquei com os dois cordões completamente desapertados. Optei por seguir assim até ao final, procurando ter o cuidado de não colocar os pés muito juntos nas passadas para ver se conseguia seguir sem problemas.

Apesar de algum desconforto nos pés (às vezes até acredito que seja mais psicológico), não tive problemas de maior e segui até à meta sentindo-me com força, o que comprova a boa gestão de prova. O ritmo manteve-se praticamente inalterado até final e acabei com um vigoroso sprint em 44:19 praticamente a fechar o primeiro terço dos mais de 1.300 atletas que concluiram a prova.

Foi uma prova bem positiva e uma manhã bem passada!

8 comments:

João Paulo Meixedo said...

Começando pelo fim, fizeste um belo tempo, que penso não estar de momento ao meu alcance. Quanto à véspera nem te digo nem te conto a jantarada e a consequente rebarba. O guronsan entrou ao serviço em grande, pois só me consegui levantar às 9:00 (uma hora antes do tiro de partida); pois como sabia que ia fazer uma prova calma exagerei na véspera.
Isto ainda vai acabar mal :)
Um abraço.

MPaiva said...

Amigo João,

Como te compreendeo!!!!

abraço
MPaiva

Novais said...

Uma das coisas que mais dou valor durante a corrida é a companhia. foi um prazer concluir a prova contigo, estou convencido que se não fosse o leitão ainda seria melhor.
Abraço

Mark Velhote said...

Viva Miguel,

Boa prova!
De futuro vou passar a esforçar-me por tentar encontrar-te antes das partidas porque consegues sempre partir na fita! Eheh!

Foste muito bem acompanhado pelo grande Novais que garante sempre uma excelente companhia!

Quanto ao leitão é a dica de semana! Já tomei nota! Engraçado vai ser a malta pesquisar no Google por " flor do ave" e vir parar a um site de corridas! LOL

Aquele abraço
Mark

MPaiva said...

Novais,

O coitado do leitão não tem culpa das minhas faltas aos treinos em Novembro e Dezembro! Veremos se agora as coisas melhoram um pouco...

Quanto à companhia, ontem acho que foste mais importante para a minha performance do que eu para a tua. De qualquer forma, foi uma bela jornada de corrida e um destes dias espero poder compensar-te!

abraço
MPaiva

MPaiva said...

Mark,

Atendendo ao momento em que te vi passar, percebi logo que tinhas começado muito atrás. Apesar de ter saído mesmo na frente, acredita que ontem tinha intenção de começar bem atrás, mas calhou ficar logo à frente.
Quanto ao letão, experimenta e vais ver que ficas cliente!

abraço
MPaiva

Rui Pena said...

Boa Miguel...

Foi um prazer reencontrar-te... e parece-me que temos é que continuar em frente, nas calmas, desfrutar da vida, das corridas...

Abraço,

Rui

MPaiva said...

Rui,

É isso mesmo! Sem esquecer de dar o nosso melhor, o importante é mesmo a festa.

abraço

 
Free counter and web stats