Tuesday, 10 November 2009

A minha Maratona do Porto - Antes da prova

A maratona é uma prova especial. A Maratona do Porto, sendo a que mais se tem desenvolvido em Portugal e que mostra mais ambição, faz-nos sentir, em muitos pormenores, personagens principais desse filme de eleição.
A Expomaratona deste ano foi um espaço que evoluiu em relação ao ano anterior, com mais alguns stands, ajudando assim a criar um espaço de convívio onde os atletas, para além de levantar os seus dorsais, aproveitam para encontrar amigos e conviver um pouco.

Sendo dos que levantaram o dorsal à hora do almoço de sábado, acabei ainda por ser surpreendido pela presença de uma banda filarmónica que animou o espaço com uma sonoridade que ajudou ainda mais ao espírito festivo que todos respirávamos.

Já com o dorsal na mão (este ano calhou-me o 657) fui almoçar com os amigos Meixedo e Velhote. Nestas coisas o convívio é sempre o mais importante e, no fundo, aquilo que fica. De qualquer forma, reconheço que a RunPorto poderá conseguir que a equipa de catering melhore alguns pormenores quanto ao almoço propriamente dito.

Este ano dispensei a visita ao stand dos psicólogos que, segundo me pareceu, estava com pouca "clientela", ao contrário das massagens, que praticamente não tinham descanso. Quem também estava animado era o Vitor Dias que aproveitou o evento para fazer a apresentação do seu livro, uma extensão do blog Correr por Prazer, iniciativa de grande mérito e que merece ser devidamente saudada.
Depois da visita à Expo, onde ainda encontrei o Joaquim Adelino, o Fernando Andrade e o António Almeida, aproveitei para desfrutar um pouco dos belos jardins dos Palácio de Cristal e para uma visita à Biblioteca Almeida Gerrett com a minha filha. Foram momentos bem agradáveis.

O dia da prova começou cedo, tendo-me levantado às 5.30h para o pequeno almoço. Como estava a sentir-me atacado por um princípio de constipação, tomei um chá bem quente regado com imenso mel, acompanhado por torradas com geleia de morango. Este não é o meu pequeno almoço habitual, mas penso que talvez não seja uma má ideia para os dias de prova, em que os alimentos ricos em hidratos e calorias são necessários.
Depois do pequeno almoço, fiz um ligeiro compasso de espera antes de sair de casa para o ponto de encontro no qual estava previsto juntar-me à comitiva de vilacondenses presente na prova: o João Fernandes, as campeãs Ester Alves (ciclista) e o seu companheiro, a Janine Coelho (remadora) e o estreante Sousa. Eram quase 7.30h quando saimos em direcção ao Porto, estacionando bem perto da meta. Feitos os preparativos, lá apanhamos o autocarro em direcção à zona de meta.

O movimento já era bastante e foi altura de encontrar mais amigos. O Baltazar Sousa foi um dos primeiros que encontramos. Sabia-o menos confiante do que em anos anteriores, mas só a posteriori vim a saber dos problemas que passou na noite da prova por uma questão de dentes, aspecto que, certamente, nada o ajudou.

Conheci pessoalmente o José Bastos, que andava por lá juntamente com o Joaquim Adelino.

Mais uma volta pela multidão e eis que dou com o Rui Pena, devidamente equipado com a singlet da edição da Maratona de 2008, mostrando orgulhosamente o seu "troféu" de Maratonista feito há um ano neste mesmo cenário.

Um pouco mais adiante encontro grande parte dos Cyberunners (António Almeida, Luis Mota, Ana Pereira).

Com alegria vejo o Ricardo, que vindo dos Açores, repetiu a prova em que se tornara Maratonista em 2007. Mais umas fotos e as 09.00h estavam a aproximar-se.

Era tempo de entregar o saco com o fato de treino e preparar-me para começar a prova. Aquecimento? Com 42 Km pela frente convenci-me de que teria muito tempo para aquecer. Aliás, demais até, como adiante se verá!

4 comments:

joaquim adelino said...

olá amigo Paiva.
Tudo organizado e arrumado antes do grande desafio, demonstrando grande há vontade e serinidade, fundamental para que tudo corra bem e revelando uma grande experiência para enfrentar esta mítica distância da Maratona.
Aguardo o melhor da história, cruzámo-nos duas vezes, o apoio foi mútuo mas aprendemos sempre e muito quando sabemos as historias que cada um conta.
Agradeço as palavras muito simpáticas que enviou para o meu blogo, apenas direi que me sinto um pouco uma espécie de "Avô babado" ao pé de um númeroso punhado de adoráveis jóvens a quem tenho de agradecer por ter lugar aí num cantinho junto dos vossos corações.
Abraço e boa recuperação.

luis mota said...

Olá Miguel!
A organização perfeita para o grande dia.
Um belo desempenho e uma boa marca na Maratona.
Obrigado disponibilidade manifestada e pelos incentivos em prova.
Votos de uma boa semana,
Luís mota

Mark Velhote said...

Olá Miguel,

Realmente a pasta party vai ter de melhorar um pouco, mas o importante era o convívio.

A chave do sucesso também está no planeamento e vejo que não descuraste nenhum pormenor.
Fico à espera do restanto relato. Sei por antecipação que vai ser interessante de acompanhar, porque foi justamente um dos teus posts que me motivaram a criar um blog e, mais importante, a começar correr regularmente.

Grande abraço e obrigado pelo apoio

José Alberto said...

Olá Miguel,

Parabéns por esta segunda maratona e pelo magnífico resultado alcançado.

Tive muito prazer em, finalmente, conhecê-lo pessoalmente. Embora não desse para falarmos muito, foi muito agradável sentir a sua simpatia.

Vou esperando pelo seu relato que, à semelhança do habitual, certamente será bastante "recheado".

Abraço

José Alberto

 
Free counter and web stats