Monday, 19 October 2009

3ª Meia Maratona SportZone

Decorreu ontem a terceira edição da Meia Maratona SportZone. Como previsto no plano de preparaçao para a Maratona do Porto, alinhei à partida com um objectivo bem claro: dar o máximo possível!

A prova, com o melhor cabeça de cartaz que se poderia pedir, o Grande Haile Gebrselasie, o recordista mundial da maratona e o verdadeiro Senhor das estradas, contou com a habitual eficiência organizativa da equipa da RunPorto e juntou um elevado número de participantes, batendo o record de atletas chegados à meta.

Nesta edição da prova, e porque a ela estava associado o II Meeting Blogger, corri pela equipa dos Cyber Runners acompanhado por um excelente grupo de amigos. Talvez por isso, deixei-me estar junto deles e não tive a menor preocupação em conseguir partir à frente. Quase no final do pelotão que alinhou para correr os 21 Km, acabei por correr o primeiro quilómetro em ritmo baixo. Mesmo assim fiz 4:40 o que foi muito bom tendo em conta as curvas que tive de fazer para ultrapassar muitos atletas.

Depois do primeiro quilómetro o percurso já começava a estar mais "transitável", o que me permitiu ir colocando em marcha o meu ritmo. De acordo com os meus planos, o objectivo era ir rolando de forma estabilizada à volta dos 4:20/km. Foi assim que atingi a primeira légua com o tempo de 22:03 com bastante conforto. Animado e sempre a ultrapassar vários atletas segui sem problemas até à viragem na Afurada, empolgado pelo apoio popular e copm a sensação de estar a fazer uma boa prova. O regresso da Afurada e a longa "caminhada" até ao Freixo não foram nada agradáveis, pois corria um vento não muito intenso, mas que limitava a corrida. Ainda assim consegui manter o ritmo, passando aos 10 Km em 43:45 (segundos 5 Km em 21:42). O ritmo estava estabilizado e as sensações eram boas. Sentia-me com força e a corrida saia fácil.

Animado e com a campanhia de mais dois atletas seguimos até ao Freixo em ambiente de entreajuda no ataque ao vento. Ora avançava um deles para a frente e eu na rectaguarda, aproveitando para me resguardar do vento, ora trocavamos de posições. Foi uma excelente ajuda a destes companheiros que, infelizmente, acabei por perder por volta dos 18/19 km (eles tiveram mais força do que eu na parte final).

Com a viragem no Freixo e a sensação de estar a correr em direcção à meta, ainda para mais com o vento pelas costas, o ânimo ainda aumentou mais. A passagem aos 15 Km foi efectuada com 1h06:10 (terceiros 5 Km em 22:35) o que, aliado às boas sensações, me dava a certeza de que iria bater o meu record pessoal à Meia Maratona. Para isso bastava aguentar sem grandes oscilações de ritmo.

Com o pensamento na meta as coisas corriam bem e lá fui continuando na mesma toada. Nesta fase já praticamente não há ultrapassagens, pelo que vamos seguindo um ou outro atleta como referência da estabilidade do nosso andamento. Era assim com um atleta do Porto Runners, que segui uns bons quilómetros que acabei por alcançar a cerca de 3 Km da meta, vindo a constatar tratar-se do Pedro Couto Viana, um bom amigo que aderiu recentemente ao melhor clube de maratonistas de Portugal.

Andei assim até aos 20 Km, que alcancei com 1h28:23 (quartos 5 Km em 22:13), uma marca que me mantinha claramente dentro do tempo de record. Nesta fase não havia forças para disparar, mas havia reservas suficientes para manter o ritmo. Foi isso que fiz, correndo o 21º quilómetro em 4:27, atingindo os 21 Km de prova com 1h32:50. Nesse momento estava a passar debaixo do primeiro pórtico da zona de meta, com a visão aberta para os 230 metros que ainda faltavam para cortar a linha de chegada.

Neste momento, que poderia pensar-se ser o mais fácil, tudo se desmoronou. Sentindo o forte desarranjo estomacal, sinto um profundo mal estar e sou forçado a parar para vomitar. A meta estava à frente dos meus olhos, mas a única coisa que eu conseguia fazer era dobrar-me e ajoelhar-me no chão para vomitar. Horrível!

Vistas as coisas a esta distância, julgo que o erro terá sido a ingestão de alguma água na fase final da prova, pois foi mesmo isso que vomitei. Com isto, arrastei-me literalmente nos últimos 230 metros de prova, os quais foram cumpridos em 2 minutos!

Apesar deste precalço na fase final, acabei com o tempo líquido 1h34:43, marca que passa a constituir o meu record pessoal à Meia Maratona. Sinto-me bastante satisfeito pela prova, pois tive muito boas sensações ao longo de todo o percurso, o que me anima bastante para a Maratona do Porto que vai correr-se dentro de 3 semanas.

9 comments:

Carlos Lopes said...

Paiva... parabéns pela prova

Mark Velhote said...

Olá Miguel,

Boa prova! O importante foi teres sentido que o ritmo foi confortável para poderes encarar a Maratona daqui a 3 semanas ( aí o ritmo será mais baixo, mas já dá para tirar uma ideia).
A restante prova (leia-se almoço) também foi bastante positiva e foi um convívio muito agradável!

Grande Abraço

Ricardo Baptista said...

Companheiro Miguel,
Foi um bom tempo e ainda teria sido melhor se não fosse o episódio final. Estou a ver que vais para a maratona tentar grandes marcas.
Força.
Agora aguardo o relato da Patuscada. Que deve ter sido fenomenal…
Um abraço.

Vitor Dias said...

Viva Miguel

Parabéns pelo recorde pessoal. Sem aquele contratempo final terias feito um tempo ainda melhor. Na próxima farás ainda melhor com toda a certeza. Bons treinos para a maratona da inbicta.

Vitor Dias

Vitor Veloso said...

Olá,
Excelente prova e o tempo também que lhe diga muito bom.
Deve ter sido terrível o que passou no final da prova. Agora venha mais provas!!
Abraço
Vítor Veloso

joaquim adelino said...

Amigo Miguel.
Boa prova e bom relato. O episódio final não passou de um mal estar provocado pelo forcing final, isso é natural e não apaga a garra e o crer demonstrado durante a prova.
Tudo o resto tratarei no meu blogue, particularmente o que se seguiu e me deixou muito satisfeito.
Abraço.

António Almeida said...

Olá Miguel
parabéns pelo recorde, fizeste uma excelente prova.
Foi um prazer fazer parte da equipa, igualmente ter estado presente no nosso encontro de amigos.
Abraço.

João Paulo Meixedo said...

Pôrra, pá, que galo.
Já sabia, mas lido assim ainda revolta mais.
Aquele abraço.

ns said...

Viva Miguel!

Parabéns pelo recorde pessoal, apesar do infortúnio nos últimos metros. Pelos tempos de passagem aos 15 km e 20 km teremos andado perto e provavelmente terei sido um dos que passou por ti no final...

Continuação de bons treinos e boa sorte para a maratona.

 
Free counter and web stats