Tuesday, 6 October 2009

Meia Maratona de Ovar - A minha prova

A última Meia Maratona que corri antes da presença em Ovar tinha sido precisamente a Meia Maratona de Ovar de 2008, pelo que passou exactamente um ano sem que tenha tido qualquer experiência nesta distância.
Depois de ter corrido 5 meias maratonas em 2008 a escassez de provas desta distância no presente ano é um bom indicador do ano atribulado por que estou a passar em termos de corridas!
Apesar de tudo isso, estava razoavelmente optimista à partida, embora tivesse tido um período de grande ocupação nos dias anteriores, não tendo corrido desde quarta-feira (4 dias sem correr nesta fase da preparação não é nada positivo, mas teve de ser).
Cheguei a Ovar com cerca de uma hora de antecedência, tempo que serviu para recolher os dorsais e preparar-me para a prova. A intenção de partir o mais à frente possível estava na minha mente, pois recordo-me bem das dificuldades que senti na ano passado em fazer os primeiros 2 Km.
Consegui sair razoavelmente bem e lancei a prova num ritmo ligeiramente abaixo dos 4:30/Km. Os primeiro foi corrido em 4:31 e o segundo em 4:21. Foi assim que percorri as ruas do centro de Ovar para concluir a primeira légua em 21:46. Senti-me bem, pelo que fui continuando numa toada semelhante. A saída em direcção ao pinhal que nos leva ao Furadouro é algo difícil, pois tem uma recta longa e que sobe um pouco. Esse Km foi percorrido em 4:47, pelo que passei aos 10 Km em 44:29. Ainda levava algum tempo abaixo da média de 4:30, pelo que estava razoavelmente animado. Sensivelmente por essa altura vejo chegar-se até mim o meu amigo João Fernandes, que tinha feito a primeira fase de prova numa passada mais cautelosa, mas que me acompanhou sensivelmente até aos 15 Km (passagem em 1,07:29). Nesta fase o ritmo estava a baixar um pouco, ficando-se entre os 4:30 e os 4:40/Km, o que apesar de tudo não era nada mau. Estavamos na passagem pelo Furadouro, momento que sendo galvanizador face ao apoio do público, custou um pouco face a algum vento que se fazia sentir.
A partir daqui o João Fernandes deixou-me e lá segui com a intenção de manter o ritmo. Infelizmente não consegui e acabei por rolar já na casa dos 4:45 até aos 19 Km. Nessa altura já me sentia muito desgastado, não da parte respiratória, que estava bem, mas sim da parte muscular. Sem conseguir reagir, deixei-me levar até à meta no ritmo possível, tendo feitos os dois últimos Km em 5:02 e 5:14, o que mostra bem o meu cansaço.
Acabei a prova com o registo oficial de 1,37:36, tempo que me coloca em 768º da geral (1.665 classificados) e em 109º do escalão Veteranos I (212 classificados).

Ainda não foi desta que consegui bater o meu record pessoal, o que não me deixa particularmente desagradado. Pior do que isso foi a sensação de falta de força no final, que mostra que ainda terei de tentar melhorar para conseguir fazer a Maratona do Porto, pelo menos, ao nível do que fiz em 2008.

4 comments:

BritoRunner said...

Olá Paiva

O principal foi conseguido, mais uma meia para o palmarés, espero que os problemas das lesões já fassam parte do passado.

Eu na partida fiquei muito atrasado tendo corrido os primeiros 2 kms acima dos 5'/km, depois o ritmo foi na casa dos 4.40.

JCBrito

BritoRunner said...

Olá Paiva

Queria dizer façam (fassam), isto é os efeitos do desgaste....21km não é para todos

JCBrito

ns said...

Viva Miguel!

Pelos vistos, tal como me sucedeu, o "depósito de combustivel" entrou na reserva antes dos 21km...

Nova oportunidade/tentativa daqui a 15 dias :-)

Continuação de bons treinos!

NS

Ricardo Baptista said...

Olá Miguel,
A falta de combustível tambem deve ter a ver com a fase da preparação para a Maratona do Porto. Vais ver que consegues quebrar o teu record na meia das patuscadas.
Um abraço.

 
Free counter and web stats