Monday, 8 December 2008

51ª Volta a Paranhos - A reportagem

Tal como previsto, estive hoje na freguesia de Paranhos, na cidade do Porto, para assistir à 51ª Edição da Volta a Paranhos, uma prova da responsabilidade da secção de Atletismo do Sport Comércio e Salgueiros.
Frustrado por não ter conseguido correr, aproveitei para "saborear" a prova de outra perspectiva. Afinal, são poucas as oportunidades para tal...
Cheguei ao local da partida relativamente cedo na companhia dos dois atletas que representaram o Ginásio Clube Vilacondense na prova: Baltazar Sousa e João Ferreira. Iam com objectivos completamente diferentes. Um para lutar pelos primeiros lugares e o outro para bater o seu record pessoal aos 10 Km (estava em cerca de 42m30s).
A partida está localizada junto à Estação de Metro de "Salgueiros" e onde se localizava o antigo Estádio Vidal Pinheiro, palco de tantas glórias do simpático Salgueiral.
Naquele momento os atletas estavam a tomar contacto com o local e a preparar dorsais. É fantástico como é que há pessoas que vão para as provas sem preparar alguns aspectos muito importantes com a devida antecedência, o que dá para ouvir coisas do género: "Amigo, não tens aí um dorsal a mais?". São coisas que não dão para mim, mas por um lado até acabo por admirar o facto de haver quem leve estas coisas com tal descontração...

Encontrei algumas pessoas conhecidas, como os meus amigos conterrâneos do Rompe Solas, que se apresentaram em bom número. Durante o aquecimento ficamos sempre com a atenção orientada para as principais figuras da prova. "Olha a Fernanda Ribeiro", dizia quem passava. Realmente, é um enorme prestígio contar com a presença de uma Campeã Olímpica numa prova de cariz popular como é esta!
Reparei no cuidado da preparação da Marisa Barros, a nossa melhor maratonista da actualidade, que, escassos minutos antes da partida, conferenciava com o seu treinador aquilo que, adivinho, fosse a estratégia a seguir. Atendendo ao resultado final, a coisa parece ter funcionado!

Às 10.45h foi dada a partida. As várias centenas de atletas partiram, finalmente, para o 51º abraço a Paranhos. Como é normal, os Quenianos avançaram logo para a frente, com o Baltazar Sousa a partir muito bem. Quando os atletas voltaram a passar junto à meta, já com cerca de 2 Km feitos, havia um grupo que integrava os 3 que acabariam por arrebatar o podium da prova. Um queniano, o Ricardo Ribas do Maratona e um Russo.

Quem estava no local da meta, nada mais lhe restava senão esperar. O speaker lá ia dando informações ao microfone, avançado, quilómetro a quilómetro, o posicionamento dos primeiros. O queniano parece que comandou a prova desde o início até ao final...

Finalmente, 29 minutos depois da partida, os primeiros lá começaram a chegar. Como não sei em que site está publicada a classificação não posso adiantar muito. Sei que o Baltazar Sousa terminou em 14º lugar, com 32m04s, o que é bom para um maratonista.
O João Ferreira bateu o seu record pessoal, terminando com cerca de 40m50s, um belo tempo que o deixou bastante satisfeito.

Para finalizar quero deixar algumas notas sobre esta prova:

- Alguns atletas queixaram-se da falta de abastecimento ao longo do percurso. Bem sabemos que eram apenas 10 Km, mas não teria ficado mal se tivesse havido a possibilidade de oferecer água aos atletas durante a prova. Esta queixa aplica-se também à escassa disponibilidade de água no final.

- A presença de público a apoiar os atletas é, infelizmente, muito escassa. Não sei como estavam as coisas ao longo do percurso, mas junto à meta não estavam sequer 100 pessoas à espera dos atletas, incluindo-se nestes todos os elementos de staff das várias equipas presentes. É pena que o público não apoie o atletismo de rua como o faz com o ciclismo, por exemplo.

- É de enaltecer a presença de pessoas como Carlos Lopes e Rosa Mota junto do pelotão neste tipo de provas populares. Pessoas com o seu curriculum e que todos os portugueses conhecem e admiram são importantes para promover o atletismo e para entusiasmar os atletas.

- A prova contou com mais de 1.000 atletas inscritos (e a fazer os 10 Km), o que é um número interessante face às dificuldades da organização na promoção da mesma. Isso só acontece porque a Volta a Paranhos tem tradição, mostrando assim que, se for organizada com mais algum cuidado, tem potencial para ser ainda mais representativa.

7 comments:

João Meixedo said...

Acerca das classificações não sabes tu nem sabe ninguém; a organização desta prova é uma vergonha, ao contrário da reportagem que está muito boa.
Parabéns e um abraço.

luis mota said...

Olá Miguel!
Uma boa recuperação.
Sei que gostarias de ter participado. Agora é recuperar para a São Silvestre.
Grande abraço,
Luís Mota

joaquim adelino said...

Amigo Miguel
Foi um bom relato da prova e é pena que agora a organização a faça cair no esquecimento se não lhe der alguma divulgação.
Quando puder regresse com força.
Até Tomar.

Marco Antonio said...

ola Miguel! parabens pla prova!
quant a isso da organização ja me aconteceu inumeras vezez, e muito chato e vdd, mas o que importa e participar!

um abraço!
Marco Paiva

Anonymous said...

Viva

Acabei de ter acesso às classificações e publiquei-as no meu site.

Poderão aceder às mesmas no seguinte endereço:

http://www.correrporprazer.com/

Cumprimentos

Vitor Dias

Mark Velhote said...

Olá Miguel,

Acho que face à falta de promoção até acabou por correr bem, embora, como referes, a prova tenha muito potencial.
Podiam de facto colocar um abastecimento aos 5km e podiam por exemplo alertar os atletas (eu) que aqueles chips têm de ser usados nas sapatilhas!
Também achei deveras curioso oferecerem uma garrafa de 75 cl de vinho e uma garrafa de 33cl de agua, mas ok...

abraço

Manuel said...

Caros, caso ainda não sabem, as fotos da última volta a Paranhos,podem ser vistas em
http://picasaweb.google.com/apollomission19/D50AtletismoSalgueirosMCruz?authkey=YXD4a9nsBP4#
e
http://fotos.sapo.pt/mscruz
já agora, divulguem pf.
um abraço
mcruz

 
Free counter and web stats