Monday, 29 December 2008

A minha S. Silvestre do Porto

Receoso com as condições climatéricas, ontem, ao acordar, fui imediatamente à janela olhar para o céu, tentando, com isso, antever o que me esperaria ao final da tarde na 15ª Edição da S. Silvestre da cidade do Porto. Felizmente a previsão meteorológica parecia confirmar-se, pois o céu mostrava-se bastante mais aliviado do que no dia anterior.

O dia foi passado com a tranquilidade de quem sabe que o momento importante só chegaria mais tarde. Foi assim que, acompanhado da família, saí de Vila do Conde por volta das 17.00h, com o objectivo de chegar com cerca de uma hora de antecedência. Não gosto nada de chegar em cima da hora às provas, pois isso causa um stress desnecessário.

Logo à chegada foi tempo de reencontrar o Luis Mota, que me havia surpreendido com um telefonema no dia anterior, pouco tempo depois de concluir a S. Silvestre de Torres Novas, confirmando a sua vinda ao Porto. Cumprimentamo-nos e conversamos um pouco, fazendo mutuos votos de boa prova, como fazem os amigos.

De seguida era tempo de encontrar o meu colega de treinos, o João Ferreira, que já tinha consigo o meu dorsal e a minha camisola. Esta foi a primeira prova em que participei em representação do Ginásio Clube Vilacondense, o que faço com orgulho, pois trata-se de um clube do qual sou sócio há muitos anos (talvez uns 30) e no qual pratiquei desporto noutros tempos nas secções de Ginástica e Ténis.

Feito o aquecimento, posicionamo-nos para a largada. Foi aí que vi os meus amigos do Rompe Solas de Vila do Conde, que estiveram presentes em bom número e sempre com o habitual espírito solidário e amigo de quem participa nestas provas pelo gosto e prazer de correr. Um pouco à minha frente descobri o Fernando Andrade, que cumprimentei e com quem pude conversar alguns instantes enquanto aguardavamos o tiro de partida. Ao sobrevoar o meu olhar pelas centenas de participantes consegui encontrar ainda o João Meixedo (ou alguém que me parecia ser ele) a cerca de 5 metros de mim. Chamei-o e ele, ao fim de alguns instantes conseguiu identificar-me. Como estavamos distantes, não pudemos conversar, mas conseguimos esboçar alguns gestos que pretendiam transmitir mutuos desejos de boa sorte para a prova.

Era tempo de partir. O meu posicionamento para a partida não era muito mau, pelo que comecei logo em bom ritmo, ultrapassando alguns atletas nos primeiros metros, mas sem grandes dificuldades. Descemos o que faltava da Avenida dos Aliados e logo invertemos no final da praça, começando a subir. Junto à Câmara do Porto infletimos para a Rua Formosa, indo até à Sá da Bandeira, para começar novamente a subir. Foi neste desce e sobe que fiz o primeiro quilómetro em 4:14. O percurso continuava a subir, sempre com elevado grau de inclinação, o que fiz com grande esforço e sentindo, claramente, que não estava no meu "território". O segundo quilómetro foi concluido em 4:52, o que mostrava bem as minhas dificuldades. Felizmente o "calvário" iria acabar logo depois, com a chegada à Praça do Marquês. A partir daí o perfil da corrida muda radicalmente, com a entrada na Constituição, em que o percurso inicia uma suave descida. Fiz o terceiro quilómetro em 4:06, o que teve um misto de descanso e recuperação do esforço dispendido na subida e já o início da aceleração para os ritmos que eu pretendia. Depois disso iniciava-se a descida acentuada, com a chegada à Igreja da Lapa, passagem pela Praça da República, descida para a Rua de Camões e descida dos Aliados, passando novamente junto à meta.
Esta parte do percurso desce bastante, o que assusta alguns atletas que não gostam de descidas acentuadas, mas que, a mim, me agrada, pois permite-me recuperar bastantes posições. Nesta fase cumpri o 4º quilómetro em 3:47 e o quinto em 3:26, terminando a primeira metade da prova em promissores 20:25.

A partir daqui a corrida voltava a inverter o seu perfil, começando-se novamente a subir. Na segunda volta o ataque à subida faz-se logo pelo início de Sá da Bandeira, junto à Estação de S. Bento, o que torna tudo bem mais difícil. A inclinação é mais acentuada e a subida mais longa. Como consequência, a subida até à Praça do Marquês, que tem cerca de 2 Km, foi feita com os parciais de 5:05 e 5:26 aos 6º e 7º quilómetro. Nesta fase sentia-me claramente em dificuldades, tendo mesmo sentido indícios de uma "dor de burro" em certa fase da subida, o que poderia deitar tudo a perder. Felizmente a tormenta acabaria com o aproximar da Praça do Marquês. Já consciente de que o resultado final acabaria por ficar longe do sonho dos 40 minutos, havia ainda que garantir o record pessoal, pelo que não havia espaço para esmorecer pelas dificuldades. Como hão-de compreender não é muito agradável fazer a subida nestas condições, tanto mais que fui ultrapassado por largas dezenas de atletas (talvez uns 100) entre o início de Sá da Bandeira e o Marquês.

Tentando recuperar do esforço da longa subida, fui descendo a Constituição em bom ritmo, começando a ultrapassar alguns atletas. O 8º quilómetro foi cumprido em 4:01, o que mostrava que, apesar do esforço da subida, ainda tinha força para o que faltava da prova. Aproveitando a parte final, com descidas mais inclinadas, consegui acelerar nos 9º e 10º quilómetro, que foram cumpridos em 3:40 e 3:34 respectivamente, para terminar com um tempo total de 42:18, registados no meu relógio. À chegada deu-se um pormenor curioso, pois fiz um sprint e parei logo que ultrapassei o primeiro portico, sem reparar que a meta estava apenas uns metros mais à frente, num segundo portico da SportZone. Felizmente o público era muito e estava mais atento do que eu, avisando-me de que teria ainda uns metros a percorrer para terminar a prova!

O resultado final divulgado pela organização atribui-me um tempo de 42:28. De acordo com os objectivos que tinha fixado julgo que me posso dar por satisfeito. Consegui baixar cerca de 4:30 o meu melhor tempo nesta prova, melhorando ainda cerca de 330 lugares na classificação geral face a 2007. Por outro lado consegui melhorar o meu record pessoal aos 10 Km em 35 segundos. Se olharmos para o perfil da prova em que fiz o anterior record (totalmente plana) e esta, chegamos à rápida conclusão de que houve uma franca melhoria. Para já os 40 minutos ainda ficaram algo distantes. No entanto acredito que em 2009 e numa prova com um perfil mais suave serão alcançados.

Finalmente quero deixar uma referência à excelente qualidade da organização e ao extraordinário apoio que o público presente nas ruas da cidade do Porto deu aos atletas. É fantástica a sensação que temos ao correr na Avenida dos Aliados num funil de pessoas pessoas em ambos os lados da rua a apaudir e incentivar os atletas.

7 comments:

luis mota said...

Olá Miguel!
Parabéns pelo record pessoal em tão complicada prova.
Foi com alegria que estivemos antes e depois da prova.
Acredito que brevemente o Miguel baixará os 40 ao s 10.
Votos de um bom ano para si e para os seus familiares.
Grande abraço,
Luís Mota

Gil Freitas said...

O meu nome é Gil Freitas e esta foi a minha primeira grande prova embora sem classificação uma vez q eu corri os 10km de forma "clandestina".
Eu tenho 15anos e como tal não pudia ser inscrito na prova dos 10km mas depois de falar com a organização eles nao me impediram de o fazer.
O meu tempo nesta prova foi de 47min e 40s. Senti-me muito concretizado porque nos treinos tinha feito sempre acima de 50min e numa prova tão dura como esta consegui ultrapassar as expectativas.
Quero felicitar o Sr. Miguel pelo tempo conseguido nesta prova e dizer-lhe que por certo nos iremos cruzar noutras provas.
Abraço
Gil Freitas

gilmarquesfreitas@sapo.pt

joaquim adelino said...

Amigo Miguel
Quando nós damos o máximo qualquer resultado é animador. Tiramos sempre benefícios e ganhamos também experiência e motivação para as provas seguintes.
Mas os parabéns são sempre merecidos, seja em que circunstância for, e você merece-os.
Um abraço.

João Meixedo said...

Caro amigo, ainda bem que me reconhecdeste, porque eu estava a milhas de distânca quando me chamaste.
Excelente tempo, o meteorológico e o outro.
Abraço e até Sto Tirso.

José Capela said...

Boas, Miguel

Sem duvida nenhuma que em 2009 o meu amigo vai melhorar todos os seus tempos. O treino vai começar a dar frutos...acredite!

Abraço

José Capela

Carlos Lopes said...

Vim apenas desejar um Bom ano de 2009

João Meixedo said...

então e a de Coimbra?
Queremos saber novidades.

 
Free counter and web stats