Tuesday, 20 January 2009

Nivel competitivo das provas

Uma das coisas que nos vamos apercebendo à medida que ganhamos mais experiência na participação em provas de atletismo é que o nível competitivo de cada uma delas é bem diferente.

Esta situação é muito sentida pelos atletas do pelotão, como é o meu caso, que vêm a sua performance oscilar muito em termos relativos. No meu caso, e com tempos relativamente equiparados, consegui ficar classificado nos 15% mais rápidos na S. Silvestre da Cidade do Porto, enquanto que na de Coimbra já fiquei classificado abaixo de meio da tabela.

No caso do Campeonato Nacional de Estrada em Mirandela esta situação é muito evidente. Se compararmos os resultados da prova com aquilo que aconteceu no passado ano em Viana do Castelo constatamos que a prova de Mirandela teve um nível muito elevado. Em Mirandela, num total de 377 atletas que atingiram a linha de meta, 53,5% concluiram a prova com menos de 60 minutos, o que é excelente. Em Viana, num total de 1.210 atletas que concluiram a prova, apenas 29,4% deles conseguiram esse feito.

Os gráficos que mostro de seguida são bem elucidativos a este respeito:
Desta análise podemos retirar algumas conclusões:
- Quantos mais atletas tivermos a participar numa prova, mais o nível competitivo se irá diluir;
- As pessoas que participam em provas de atletismo sem fazer grande preparação específica ou sem grandes preocupações de rendimento costumam participar nos grandes eventos (a Meia Maratona de Viana já conquistou esse estatuto) e alhear-se das "pequenas" organizações (como é o caso da Meia Maratona Rota do Azeite).

Esta distinção entre os vários tipos de provas é cada vez mais evidente. A profissionalização de algumas organizações (as da RunPorto ou do Maratona Clube de POrtugal, por exemplo) têm conseguido chamar à corrida muita gente que corre sem grandes preocupações quanto ao tempo final. As outras provas acabam por atrair muito menos atletas, mas como contrapartida, chamam aqueles que estão mais bem preparados.

2 comments:

Mark Velhote said...

Olá Miguel,

O facto de ser em Mirandela afastou desde logo muito participantes (eu incluído).
A distância dos grandes centros já é alguma e julgo ser essa a principal explicação.

O tempo também não ajudou é verdade e se agora aliarmos a questão do resultados julgo que a FPA não esteve bem nesse pormenor.

Concordo que se deva descentralizar as provas, mas deve-se respeitar os atletas de pelotão que acabaram por contribuir para que a prova tivesse 400 atletas e não 100.

Desculpa ter fugido um pouco ao tópico do post.

Abraço

runningirl said...

Ola Miguel

Feliz 2009! faz muito tempo que não passo pelo seu blog. Bom, retornei das férias no Brasil e ja estou de volta aos treinos. Vou correr uma maratona no dia 11 de abril e aqui estou treinando enfrentando um dos piores invernos.

Bom, passei por aqui para te mandar um abraço.

Bejos mil
Sandra

 
Free counter and web stats