Monday, 29 March 2010

Duatlo da Póvoa de Varzim - a minha prova

Era com grande expectativa que aguardava esta prova. Não tendo referências quanto à minha valia "duatlista" (que sabia ser pouca), andava bastante curioso para ver como me sairia da aventura de fazer um duatlo e, ainda para mais, de BTT!

O dia começou cedo. Com a mudança de hora havia que roubar 60 preciosos minutos à caminha, pelo que me levantei às 07.00h (06.00h pela hora antiga). Era o momento de tomar o pequeno almoço e preparar tudo com muita calma.

O encontro com o meu irmão (sim, desta vez consegui rebocá-lo a uma prova) estava marcado às 08.30h para rumarmos juntos para a Póvoa de Varzim de bicicleta. Vivemos a cerca de 6 km do local onde se realizava a prova, pelo que optamos por este meio de transporte, o que nos permitiria fazer um bom aquecimento!

Lá chegados encontramos logo alguns amigos da blogosfera. O Miguel Torres (o culpado de eu lá estar), o Rui Pena, o Mark Velhote e o João Fernandes. Depois de tudo colocado nos seus devidos lugares no parque de transição e porque ainda faltava algum tempo para o início da prova fomos conversando mais um pouco e fizemos um ligeiro aquecimento juntos.

Habituados a provas de atletismo com grande participação, e em que todos se apertam para partir na frente, estranhamos um pouco o à-vontade com que todos estão no momento da partida, mas ainda bem que assim foi! Sem que me tivesse apercebido do tiro de partida (não houve), percebi que a prova tinha começado, pois já todos estavam a correr! Avancei então para a corrida atrás do pelotão.

O primeiro segmento, composto por duas voltas a um circuito, tinha 4,9 Km e era integralmente cumprido no Parque da Cidade da Póvoa de Varzim. Abro aqui um parentesis para elogiar a qualidade do espaço. Não o conhecia e é simplesmente fantástico, sendo merecedor de uma visita em família.

Comecei a prova em grande ritmo. Tinha como referência o Mark Velhote (cujo ritmo sabia não estar ao meu alcance) e o João Fernandes (junto a quem tinha pensado andar). A verdade é que o Mark avançou rapidamente para a frente e o João Fernandes seguiu-o. Nesta fase tentei seguir com o Rui Pena, mas cedo percebi que ele estava com uma passada muito rápida para mim, pelo que optei por deixá-lo ir. O primeiro quilómetro foi cumprido em 3:50. Nos seguintes fui mantendo o ritmo ligeiramente abaixo dos 4:00/Km, o que me permitiu ir conseguindo ultrapassar vários atletas, entre as quais o Rui Pena, que me pareceu, neste primeiro segmento, ter pago a entrada algo impetuosa na corrida. Acabei esta parte muito bem fisicamente e a escassos 20 metros do João Fernandes, que consegui ultrapassar no parque de transição.

Depois de ter encontrado a bicicleta (e não foi nada fácil...), colocado o capacete, avanço para o segmento de BTT. Quando estava prestes a sair do parque o relógio marcava 19:30, o que era muito bom. Estavamos agora na parte mais incógnitas me trazia.

O primeiro quilómetro era relativamente fácil, pois era percorrido em estradas de paralelo e alcantrão que nos levavam aos trilhos de terra. A parte inicial não era muito complicada, pois era percorrida nos estradões de terra laterais à A28. Apesar de estar a ser passado por muita gente (o João Fernandes foi dos primeiros que me passou), sentia-me bem e sabia que estava a fazer um bom andamento para as minhas possibilidades. À medida que avançavamos, iamos entrando em terrenos mais complicados. O caminho era quase sempre o dos trilhos dos tratores nos campos agrícolas. Como tinha chovido bastante na passada semana havia imensa lama e poças de água. Aos poucos ia ganhando consciência da dificuldade do percurso, especialmente porque nos colocava uma enorme exigência técnica que, como é óbvio, não domino.

Numa das partes mais enlameadas dou o meu primeiro tombo, pois não vi um tubo de rega. Nada de grave e de imediato me leventei e segui. Pouco mais à frente entravamos numa parte que denomino de "pântano" (não era o do outro!!!!). O terreno era de tal forma encharcado que praticamente não era possível andar de bicicleta. Na primeira volta ainda me esforcei por tentar, mas na segunda peguei logo na bicicleta à mão e corri com ela às costas.

Apesar das dificuldades e de perceber que não tinha ritmo para acompanhar a malta com mais experiência das bicicletas, sentia-me bem e com força. Não dispondo dos dados dos tempos por segmento, julgo ter feito as duas voltas de BTT em ritmo muito equivamente. A meio da segunda volta consegui ver ao longe um atleta que me pareceu ser o Mark Velhote, o que significava que, apesar de ter perdido muito lugares, estava a conseguir recuperar face a ele. Animado com essa ideia, continuei a pedar o melhor que podia e foi assim que o consegui passar a cerca de 2 Km do final do BTT.

A entrada no parque de transição correu bem e sem confusões, pois nesta fase da prova já todos vinhamos algo espaçados. Ao entrar na corrida sinto algumas dificuldades, fazendo os primeiros 500 metros sempre acima dos 5:00/km. Depois consegui soltar-me e fiz todo o restante percurso a um ritmo de cerca de 4:30/Km para acabar a prova em 1h30m15s. Fui o 66º classificado entre os 112 que concluiram a prova.

O balanço final é extremamente positivo. Para além de ter passado uma bela manhã com alguns amigos, consegui experimentar mais um novo desporto (o BTT). Digo já que não tenciono trocar a corrida pelo BTT (nem pelo ciclismo), mas que me agrada a ideia de fazer uma ou duas vezes por ano uma prova deste género, lá isso agrada!

9 comments:

MT said...

Há que dizer que a tua prestação em BTT foi notável. E isto não é um elogio barato. Estou certo que se existissem tempos parciais ainda deixavas muita gente para trás. Espero ver-te em mais provas destas!

NS said...

Parabéns Miguel. Prova superada!

Mark Velhote said...

Olá Miguel,

Parabéns pela tua prova! Gostei bastante deste pelotão do duatlo e estou como tu: não vou trocar mas podem contar comigo para ir fazendo algumas provas.

Grande abraço

Anonymous said...

Olá Miguel
muitos parabéns, estiveste excelente.
Imagino a dificuldade dos trilhos em BTT, se acorrer são o que são...
Boa semana e força nessa vontade de ir um pouco mais além.
Abraço e uma boa semana.
António

Rui Pena said...

Boas Miguel...

Parabéns pela tua prova...

Para quem pouco anda de bicicleta (e provavelmente não era um maquinão) saíste-te muito bem.

Quanto à minha, tens razão... foi aquela vontade de chegar depressa ao final dos 5Km (que poucas vezes faço)... Mas é um problema em que caio recorrentemente (vou muito rápido porque a sensação é boa, mas ao fim de 2-3 Km, acabo por chegar ao meu ritmo real... Tenho que ser mais racional nas partidas...

Abraço,

Rui

Ricardo Baptista said...

Grande prova.
Um dia destes alinhamos num ironman. é só aprender a nadar...

MPaiva said...

És um brincalhão Ricardo!!!!!

abraço
MPaiva

luis mota said...

Olá Miguel!
Grande estreia. Agora é treinar Natação e vamos ter triatleta no futuro.
Grande abraço,
Luís mota

NS said...

Ironman...e porque não Miguel, se há coisa que aprendi com o meu irmão é quando se quere, não há impossiveis!

http://rustmanintraining.blogspot.com/2008/05/ironcat-2008-dix-it.html

 
Free counter and web stats