Wednesday, 5 November 2008

Reflexões pós-Maratona (E depois?)

Nos dias prévios à Maratona do Porto, ainda a prova não estava "corrida" e já eu dava comigo a ser assaltado de um sentimento de nostalgia do empenho, das emoções e das sensações vividas nas 11 semanas anteriores. Não sei se alguém se apercebeu disso pelos relatos que aqui fui deixando, mas a verdade é que os últimos 3 meses foram muito intensos para mim e todo este trabalho de preparação da participação na Maratona do Porto foi algo no qual me envolvi de "corpo e alma".

Embora estivesse altamente concentrado na Maratona, não deixava de pensar no que iria acontecer no dia seguinte (como é óbvio, sempre parti do princípio de que o objectivo iria ser alcançado - como foi). As minhas dúvidas eram do género: depois destes meses a treinar entre 6 a 7 vezes por semana, seguindo um plano de treinos que se esgota no dia 26 de Outubro, o que irei fazer depois? Continuo a treinar com a mesma intensidade? Sigo o mesmo plano de treinos, ou volto a correr como fazia até Julho? Por outro lado, pensava que, depois de alcançar o objectivo de fazer uma maratona, que mais poderia almejar? Será que iria sentir a mesma motivação para me lançar ao objectivo de correr mais maratonas? Finalmente, dava comigo a imaginar qual seria o sentimento que se iria apoderar de mim depois de alcançar o objectivo de me tornar Maratonista. Será que me irei sentir uma espécie de super-homem? Será que viverei algum momento de êxtase ao cortar a meta? Quanto tempo irá durar essa sensação?

Esta enumeração dos pensamentos que passaram pela minha cabeça, creio, dá uma noção do nível de empenho que coloquei neste objectivo e da importância que a sua superação teve para mim.

Dez dias depois já tenho algumas respostas. No fundo, aquilo que aconteceu é, nem mais nem menos, do que aquilo que sempre acontece na nossa vida. Depois de um dia vem outro. Depois de um momento de glória, a vida continua e o feito conseguido tornar-se-à tão mais perene quanto melhor nós consigamos replicar em tudo o resto que fazemos o empenho e a dedicação que nos levou a alcançá-lo. Na prática isto significa que me senti profundamente satisfeito por ter conseguido fazer a minha primeira Maratona e por tê-lo feito num tempo honroso. Aquilo que senti nesse momento é algo que já está adquirido e que já faz parte de mim. O importante agora, é seguir em frente. O importante é criar novos objectivos e lutar por eles com o mesmo empenho e determinação. Fazendo-o estou a fazer perdurar a alegria e a satisfação que senti no dia 26 de Outubro passado!

Por isso mesmo, depois de uma semana de descanso, esta semana voltei aos treinos com a mesma intensidade (em 3 dias já levo cerca de 32,5 Km de treinos). Neste período resolvi a questão que mais me preocupava, que era a da falta de orientação técnica. Com efeito, e creio que nestas coisas a sorte acaba por vir ter connosco, acabei por travar conhecimento com o grande atleta Baltazar Sousa (foi o 3º português na Maratona do Porto), pessoa com quem acabei por estebelecer rapidamente uma grande empatia e que se disponibilizou a dar-me apoio técnico na orientação do meu treino doravante. Finalmente, já defini, para mim mesmo, alguns objectivos que espero conseguir alcançar a curto prazo, e que brevemente vos darei conta.

2 comments:

luis mota said...

Grande Miguel!
Senti o que escreveu anteriormente quando estive consigo no Porto.
Pessoa metódica, organizada e que sabe o que quer.
Acho que a colaboração de alguém com experiência o vai ajudar. Mas o factor determinante é a sua força de vontade que admiro.
Grande abraço,
Luís Mota

Mark Velhote said...

Ora viva!
Acompanho regularmente o seu blog e foi com agrado que verifiquei o facto de ter terminado a maratona do Porto com um excelente tempo.
Para o ano espero também completar com o mesmo sucesso!

Cumprimentos

 
Free counter and web stats