Monday, 3 November 2008

Reflexões pós-Maratona (A recuperação física)

O tema da recuperação física pós-Maratona é sempre muito abordado pelos especialistas na matéria. Tendo falado com algumas pessoas sobre o assunto, deixo-vos a minha experiência pessoal.

O pior período que passei no pós-Maratona foram as 5 horas seguintes ao final da prova. No primeiro momento senti grandes dores musculares nas pernas, as quais foram substâncialmente atenuadas com a massagem disponibilizada pela organização e à qual recorri. No momento imediato ao trabalho do massagista a sensação de desconforto e dor melhora bastante, embora se fique com a sensação de que o efeito vá "desaparecendo". (Talvez seja importante dizer que foi a primeira vez na minha vida que recorri a um massagista...).
Depois dessa sensação, e na viagem de regresso a casa, senti um mal estar geral no corpo, situação que me surpreendeu e que era bastante desagradável. Não havia nenhum sintoma de dor aguda em parte alguma e a melhor comparação que posso fazer é com aqueles dias em que estamos doentes, de cama, sem forças para nada... Uma coisa bastante desagradável que durou até chegar a casa. Aí tive oportunidade de (finalmente) tomar banho, após o que me deitei cerca de meia hora.

Após esse repouso as coisas começaram a melhorar. Fui almoçar e comecei a reagir. O resto da tarde foi passado calmamente em casa. Ao final da tarde já me sentia francamente melhor. Não vou dizer que estava pronto para fazer um treino, mas já não sentia nada de semelhante ao que passei nas primeiras horas.

No dia seguinte fiz uma longa viagem até ao sul do país (estive por lá na passada semana em gozo de férias), não tendo sentido nada digno de relevo, a não ser o facto de não ter dores de espécie alguma. Esse foi o meu primeiro dia de descanso. Na terça-feira fiz o meu primeiro treino. Cauteloso, corri cerca de 40 minutos em ritmo lento, tendo percorrido cerca de 6 quilómetros. A sensação que tive não era muito diferente da que comecei a sentir a partir dos 30 Km na Maratona do Porto, ou seja, as pernas estavam um pouco "pesadas". De qualquer forma, como o ritmo era baixo, não houve dificuldades nenhumas.

Depois disso voltei a treinar na quinta feira (55 minutos - 9,5 Km) e no sábado (35 minutos - 7 Km). Em ambas as vezes senti-me bastante bem e capaz de fazer uma corrida razoavelmente solta. Ontem voltei a descansar e hoje recomecei os meus treinos num ritmo idêntico que que tinha no período pré-Maratona.

Em resumo, posso considerar que a minha recuperação coreu bastante bem, com a excepção das primeiras horas depois da prova.

4 comments:

luis mota said...

Olá Miguel!
Uma boa recuperação é sinal de que efectuaste a preparação adequada.
Agora é recomeçar e pensar já em novos desafios.
Domingo irei à Meia da Nazaré onde espero efectuar um tempo melhor que no ano transacto.
Boas corridas,
Luís Mota

joaquim adelino said...

Olá Maratonista
A Maratona deixa naturais mazélas em todos os atletas, uns mais do que outros, no seu caso a reação do organismo foi natural e ainda bem que tudo já voltou ao normal.
Continuação de boas corridas.
Receba um abraço.

António Almeida said...

Olá Miguel

continuação de um bom recomeço dos treinos, a maratona já lá vai mas ficará para sempre como uma grande conquista por ter sido a 1ª.
Quanto ao que referes acerca do que sentiste, acho que entendo bem (pelo modo que o descreves), senti algo muito parecido quando em 2003 corri as "Fogueiras" em Peniche, no final senti que estava completamente esgotado.
Grande abraço,
António Almeida

Ricardo said...

Olá Miguel,
O que me ajudou verdadeiramente no ano passado após a maratona foi o mergulho que dei na zona do Castelo do Queijo. A água gelada fez milagres nas minhas pernas.
E quando é que ai ser a próxima?
Bons treinos.

 
Free counter and web stats